Navegação: Home Artigos Urologia Gonorreia. Como evitar?

Gonorreia. Como evitar?

O que é a gonorreia?
Gonorreia ou blenorragia (popularmente conhecida como pingadeira) é uma doença sexualmente transmissível, altamente contagiosa, resultante da infecção bacteriana pela Neisseria gonorrhoeae, uma bactéria gram-negativa que atinge tanto homens como mulheres.
Nos homens, ela adere à mucosa do trato urinário e resiste ao jato da micção.
As pessoas que uma vez tiveram gonorreia podem vir a tê-la novamente, se tiverem novos contatos com pessoas infectadas.

Como se contrai a gonorreia?
A Neisseria gonorrhoeae pode entrar no organismo pela boca, ânus ou vagina. No entanto, a forma mais comum de contágio é pelo ato sexual. Mais raramente pode acontecer pelo parto (a mãe contamina o bebê, sobretudo com a forma ocular da gonorreia - conjuntivite gonocócica. Pode ocorrer, também, contaminação dos órgãos sexuais da criança) ou por contaminação indireta, através do uso comum de objetos ou utensílios íntimos. A contaminação em vasos sanitários, com agulhas infectadas ou com outros objetos contundentes é muito rara.

Quais são os sintomas da gonorreia?
Entre o contágio e a manifestação da doença transcorre um período assintomático de 5 a 10 dias o qual, em casos muito raros, pode alcançar 30 dias.
No homem, ocorre ardência ou dor ao urinar, febre baixa e corrimento amarelo purulento através da uretra. Se deixada evoluir, pode causar prostatite (infecção da próstata) ou epididimite (infecção dos testículos) e mesmo infertilidade (rara).
Grande parte das mulheres (cerca de 70%) não apresenta sintomas. Nas restantes ocorrem dores ou dor para urinar, urina solta, dor na região pélvica e corrimento vaginal. Nelas a infecção gonocócica se localiza preferencialmente na uretra, colo do útero e glândulas da vulva, em face das dobras naturais que favorecem a proliferação das bactérias. Se não tratada a tempo, a gonorreia pode ascender para o trato genital superior e causar complicações, podendo resultar em infertilidade.
Em casos raros não tratados o gonococo pode se disseminar, afetando a pele, as articulações, o cérebro, as válvulas cardíacas e os olhos.
Como o médico diagnostica a gonorreia?
Em geral, basta o exame clínico para diagnosticar a gonorreia, não havendo necessidade de exames laboratoriais específicos. Porém pode ser colhida a secreção uretral, a qual logo após a coleta deve ser semeada em um campo de cultura. Após 72 horas, o especialista pode determinar o grau de contaminação do paciente.

Como é o tratamento da gonorreia?
O tratamento se faz com antibióticos orais ou injetáveis, além de medidas de higiene. É importante o uso de preservativos (camisinhas) para prevenir a propagação da doença.
Embora os sintomas possam desaparecer em dois dias, nos casos não complicados, o antibiótico deve continuar sendo tomado por todo o tempo prescrito.
Salvo os casos raros de cepas excepcionalmente resistentes, a Neisseria gonorrhoeae é bastante sensível aos antibióticos adequados.

Como evolui a gonorreia?
Adequadamente tratada, a gonorreia é de fácil cura. Se não tratada, pode levar a complicações e à infertilidade. Como a bactéria Neisseria gonorrhoeae às vezes também contamina outros setores orgânicos, pode haver afecção das conjuntivas (conjuntivite gonocócica), do ânus, da bexiga, da garganta, das articulações, etc.

Como evitar a disseminação da gonorreia?

  • Use camisinha em todas as relações sexuais.
  • O parceiro deve também se submeter ao mesmo tratamento que o doente, preventivamente.
  • Não compartilhe toalhas ou objetos pessoais íntimos com outras pessoas.
  • Todas as pessoas infectadas devem evitar atividades sexuais até o fim do tratamento da gonorreia.

Glossário:

  1. Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
  2. Blenorragia: Infecção transmitida sexualmente, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorreae, que se manifesta por secreção purulenta drenada através da uretra. Se não tratada adequadamente pode produzir problemas mais sérios, como infecção crônica e esterilidade.
  3. Contagiosa:
    1. Que é transmitida por contato ou contágio.
    2. Que constitui veículo para o contágio.
    3. Que se transmite pela intensidade, pela influência, etc.; contagiante.
  4. Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
  5. Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
 

Atendimento

De segunda a sexta-feira
das 8:00 as 19:00hs

Ginecologia / Urologia: (11) 2090-7733
Pediatria: (11) 4229-3603

Agende sua consulta

Marque sua consulta com conforto e comodidade através de nosso sistema de pré agendamento.

Clique aqui e siga as instruções.

Pesquisar no site